19/03/2020

Comentários sobre as nuvens AWS, AZURE e GCP.

Por wcalazans

A tecnologia conhecida como cloud computing ou computação em nuvem, têm em seu principal expoente as nuvens públicas, que nos últimos anos, romperam a consciência corporativa dominante. Mesmo que as empresas não apostem tudo na nuvem, a adoção da tecnologia é, de uma forma ou de outra, parte integrante da estratégia da maioria das empresas.

Para as empresas que estão prestes a embarcar nessa jornada, as perguntas são:

  • Qual plataforma de nuvem devo adotar?
  • Qual plataforma de nuvem fornece serviços econômicos e adequados para mim? E
  • Como devo proceder sobre minha jornada de adoção da nuvem?

Vamos tenta responder às duas primeiras perguntas.

Neste artigo, foram comparados os principais serviços de infraestrutura entre os provedores de nuvem mais populares, como Amazon Web Services (AWS), Microsoft Azure e Google Cloud Platform (GCP).

Além dos principais serviços, cada provedor de nuvem (Cloud Service Provider – CSP) traz ofertas exclusivas de SQL, Big Data, Analytics, ML e outros.

O esforço aqui é para destacar os aspectos exclusivos de cada nuvem que podem influenciar a escolha por uma arquitetura / solução, com base em seus requisitos técnicos e comerciais específicos.

Amazon Web Services (AWS)

  • A AWS é o mais antigo provedor de nuvem pública com a mais ampla variedade de produtos, opções de computação, armazenamento de dados e serviços gerenciados.
  • O AWS Marketplace também é o maior mercado para aplicativos e dispositivos de terceiros.
  • Eles também trabalham de forma muito ágil para rapidamente adicionar novos recursos ao produto.
  • Altamente motivados pelo feedback do cliente, seus serviços fornecem ainda uma integração estreita com outros serviços como IAM, KMS etc.
  • Possuem forte foco nas práticas recomendadas de segurança e arquitetura.
  • Suas estruturas corporativas, Arquitetutas de negócios e a Estrutura de Adoção em Nuvem, foram desenvolvidas a partir de sua expeVPCriência com grandes clientes corporativos.
  • Além de seus serviços convencionais, eles também são conhecidos por lançar serviços não convencionais como SnowMobile (dispositivo de transferência de dados em container), RoboMaker (estrutura de aplicativos e APIs para robótica) e o Ground Station
    (para download gerenciado de dados por satélite). Isso mantém o interesse do cliente e tem potencial para abrir setores inteiros. Sua participação de 51% no mercado é uma prova disso.

A AWS não é o serviço de nuvem mais barato do mercado. E eles também parecem não estar tão preocupados com isso. Em vez disso, eles parecem querer apostar mais em MicroVMs (Firecracker) e funções gerenciadas.

Ultimamente, eles parecem realinhar seu foco para a nuvem híbrida e anunciaram ofertas como Outposts (em parceria com a VMware) que permitirão que os clientes usem APIs e serviços da AWS em seus data centers privados.

Quando escolher AWS

A AWS é uma ótima opção para startups e demais empresas, para trabalhos desde cargas analíticas, até migrações de data center em grande escala. Para ajudar os clientes startups de todas as classes e categorias, a AWS lançou serviços de nicho, como o RoboMaker e o LightSail (servidor privado virtual) para ajudar a processar até as menores cargas de trabalho.

Quando se trata de computação em nuvem, a AWS fornece a maior variedade de tipos de VMs. Atualmente, a AWS também possui as mais altas opções de computação e armazenamento disponíveis no mercado. Sua ampla variedade de tipos de VMs (hoje, em 136 tipos de VMs em mais de 26 famílias) permite que os clientes executem tudo, desde pequenas cargas de trabalho na Web até as cargas de trabalho maiores, como HPC e SAP.

Para aprendizado de máquina e cargas de trabalho de IA, a AWS também fornece as configurações de VMs habilitadas para GPU. Para cargas de trabalhos que exigem alocação por motivos de conformidade e regulamentares, a AWS agora também fornece Bare-Metal-as-a-Service. Para cargas de trabalho virtualizadas, a AWS fornece recursos como grupos de posicionamento para garantir que as cargas de trabalho sejam executadas em um hardware subjacente designado.

A AWS espera que os vários tamanhos de VMs correspondam aos requisitos de carga de trabalho dos clientes. Portanto, a AWS não suporta a criação de tamanhos personalizados de VMs (vCPU, vRAM). Ao contrário de outros provedores de nuvem (CSPs), ela fornece apenas um conjunto específico de famílias de VMs que acompanham as GPUs. Não permite anexar GPUs a um ou a todos os tipos de VMs em seu portfólio.

O armazenamento em bloco vem com uma variedade de opções, como redimensionamento dinâmico, diferentes tipos de disco (magnético e SSD). Diferente de outros CSPs, a AWS não restringe IOPS por tamanho de volume. Você pode provisionar IOPS por um custo extra até para discos pequenos.

Na parte de banco de dados relacional, a AWS oferece suporte a bancos de dados gerenciados para MySQL, PostgreSQL, MariaDB, Oracle (SE e EE) e MS SQL (edições Web e Enterprise) em sua oferta RDS. Além disso, eles têm seu próprio banco de dados compatível com MySQL e PostgreSQL, que oferece desempenho semelhante ao Oracle por uma fração do custo. Eles estão investindo muito nisso e também anunciaram as versões Multi-Master e Serverless.

Para bancos de dados NoSQL, a AWS disponibiliza seu produto DynamoDB há mais de meia década, que evoluiu do SimpleDB. A AWS é um defensor e fornece uma variedade de bancos de dados NoSQL criados para esse fim. Isso inclui DynamoDB (valor e documento da chave), Netuno (Gráfico) e Elasticache (cache do valor da chave).

A AWS aprimorou seu portfólio de serviços de rede na última década. Tudo começou com a VPC e recursos de rede relacionados, como grupos de segurança, ACLs de rede e gateways da Internet. Na época, os usuários ainda precisavam configurar seus próprios servidores NAT, hosts bastiões etc. A AWS ouviu os comentários dos clientes e gradualmente os adicionou como serviços de rede gerenciados ao seu portfólio. Agora, a AWS fornece um gateway NAT gerenciado, gateway VPN, gateway de trânsito, gateway de conexão direta etc. Eles recentemente também anunciaram um serviço de VPN cliente gerenciado. Isso elimina a necessidade de os clientes implantarem servidores OpenVPN para gerenciar o acesso às VMs na nuvem.

Para segurança de rede, a AWS lançou serviços gerenciados para proteção contra DDoS (AWS Shield) e Web Application Firewall (WAF), juntamente com o AWS Inspector, AWS Config e CloudTrail para gerenciamento e auditoria de inventário, políticas e o GuardDuty fornece detecção de ameaças.

Para segurança dos dados, a AWS fornece criptografia em repouso para a maioria de seus serviços de armazenamento. A AWS também possui serviços KMS e CloudHSM para gerenciamento de chaves. A Macie fornece um serviço de prevenção de perda de dados (DLP) orientado a IA.

A AWS fornece ainda serviço compatível com AMQP (Amazon MQ), além de sua oferta SQS. Para Pub / Sub, a AWS ofereceu o Kinesis e recentemente adicionou uma oferta gerenciada do Kafka. O SNS fornece serviços de notificação integrados em vários canais que permitem notificações de clientes por SMS, celular, SMS e notificações por email. Internamente, ele também se conecta a outros serviços para habilitar arquiteturas acopladas, orientadas a eventos.

A AWS atende a cargas de trabalho do governo dos EUA em regiões separadas do GovCloud nos EUA. Os clientes que precisam prestar serviços a clientes na China podem confiar na região chinesa da AWS, que é fornecida por meio de parceria com fornecedores terceirizados.

Em suma, a AWS fornece uma variedade de serviços e recursos adequados para um número substancial de empresas.

Microsoft Azure

A Microsoft ficou para trás da AWS no jogo de nuvem pública, pois se concentrou primeiro nas ofertas de SaaS e PaaS, já que seus pontos fortes estão nos softwares corporativos e de consumo. A Microsoft se concentrou inicialmente nos serviços de PaaS para o Azure. Eles estavam focados em sua base de desenvolvedores. Com o tempo, a Microsoft expandiu o foco para os serviços Linux e IaaS. Isso também se refletiu na renomeação do Windows Azure para o Microsoft Azure. Com o tempo, a Microsoft também tornou o Azure mais amigável para inicialização e criou suporte de API para seus vários serviços. No entanto, apesar da amplitude de seus serviços, a Microsoft fica substancialmente atrás da AWS na adoção corporativa. As grandes empresas que já possuem relacionamentos existentes com a Microsoft continuam sendo uma grande parte da base de usuários, embora o Azure esteja vendo um crescimento robusto na receita ano a ano.

Quando escolher o Azure

O Azure é uma plataforma de nuvem madura com uma variedade de recursos, que pode ser uma plataforma preferida para clientes que já estão usando produtos da Microsoft de alguma forma. Embora o Azure ofereça suporte a vários serviços baseados em produtos de código aberto, o portfólio da Microsoft na nuvem é o que o diferencia seus serviços aos clientes.

O Azure tem mais de 151 tipos de VMs e 26 famílias de VMs que oferecem suporte a tudo, desde pequenas cargas de trabalho da Web até as cargas de trabalho HPC, Oracle e SAP. O Azure tem o Windows (lógico) e vários tipos de Linux (RHEL, CentOS, SUSE, Ubuntu). O Azure tem uma família separada de instâncias para cargas de trabalho de ML / AI.

Se você precisar executar cargas de trabalho de última geração que exijam até 128 vCPU e memória de 3,5 TB, o Azure é uma boa aposta. Se você possui licenças existentes para Windows OS, MS-SQL e as traz para a nuvem (BYOL) por meio do Microsoft License Mobility Program, o Azure é a nuvem a ser escolhida. Os custos de licença constituem uma parte substancial das despesas de infraestrutura e serão uma consideração importante para os clientes que executam grandes implantações do MS-SQL etc.

O Azure também foi o primeiro player de nuvem a reconhecer a tendência em direção à nuvem híbrida e teve uma das primeiras ofertas de nuvem híbrida e Cloud-in-your-Datacenter (Azure stack). Os clientes que desejavam a interface do Azure, mas desejavam executar serviços em seus próprios datacenters, podiam usar o Azure stack. Outros players de nuvem estão apenas alcançando o Azure neste espaço. O Azure também forneceu suporte para dispositivos de armazenamento híbridos como o StorSimple, que era único no espaço da nuvem pública.

Se você possui um data center com cargas de trabalho predominantemente da Microsoft e precisa fazer uma migração em grande escala para a nuvem, aproveitando ferramentas que já lhe são familiares, o Azure fornece ferramentas e serviços, como o Azure Site Recovery.

Quando se trata de bancos de dados SQL e NoSQL, o Azure tem um conjunto de serviços bastante eficaz. Ele fornece o MS SQL Server e o SQL com Datawarehouse gerenciados. O Azure também fornece bancos de dados gerenciados para MySQL, PostgreSQL e MariaDB. A Tabela de dados do Azure tem um armazenamento de valores-chave gerenciado, enquanto o CosmosDB fornece um banco de dados NoSQL com vários modelos e distribuído globalmente, com vários modelos. Ele fornece também uma API compatível com MongoDB, Cassandra e Gremlin (Graphs). Se você precisar executar vários modelos de dados gerenciados, incluindo modelos de dados de documentos, gráficos, valores-chave, tabelas e famílias de colunas em uma única nuvem, o Cosmos pode ser o caminho. O cache do Azure para Redis compoe as ofertas se serviços com um cache gerenciado.

Além do modelo de cobrança PAYG com cartão de crédito e modos de faturamento, os clientes com contas corporativas, podem comprar pré-assinaturas do Azure como parte de suas renovações anuais. Isso é útil para clientes que desejam orçamentar o gasto anual da nuvem com antecedência. Isso evita a incerteza e as aprovações adicionais de orçamento. Ao fazer isso, as empresas devem dimensionar suas cargas de trabalho projetadas com alguma precisão, para que nenhum crédito pré-pago seja desperdiçado no final do ano.

A mobilidade de licenças na nuvem para produtos da Microsoft também é relativamente fácil para clientes com vários produtos da Microsoft em execução no local.

Google Cloud Platform (GCP)

O Google Cloud Platform (GCP), apesar de atrasado no jogo e com a menor participação de mercado dos provedores de nuvem pública comparados aqui (participação atual de mercado em cerca de 4,6% Q1 2020), está mostrando um crescimento percentual robusto. Possui vários recursos que o colocam à frente de seus concorrentes em determinadas áreas. O GCP também está pegando onda, não apenas os novos clientes que já fazem parte do ecossistema, mas também os pioneiros na adoção de nuvens que desejam expandir seu cenário para o Google como parte de uma estratégia de várias nuvens. O Google também começou com serviços de PaaS, mas vem expandindo constantemente seu portfólio de produtos.

Juntamente com os recursos inovadores, o Google possui o menor preço de tabela em infraestrutura, em comparação com todos os outros provedores de nuvem. Obviamente, o gasto total de qualquer empresa depende dos serviços utilizados e das medidas de governança de custos em vigor.

Quando escolher o GCP

Do ponto de vista da computação, o Google tem o menor número de tamanhos de VM (cerca de 28 tipos de instância em 4 categorias). No entanto, ele tem uma característica que torna esses números um pouco irrelevantes. O Google permite que os usuários criem seus próprios tamanhos personalizados (CPU, memória) para que os clientes possam combinar o tamanho das cargas de trabalho na nuvem. Eles também faturam clientes com base no total de CPU e memória usada, em vez de VMs individuais. Isso reduz o desperdício de capacidade não utilizada.

Outro recurso exclusivo é que o GCP permite que quase todos os tipos de instância conectem GPUs. Isso pode transformar qualquer instância padrão ou personalizada em uma VM pronta para ML. O Google também foi líder em cobrança por segundo, o que forçou outros CSPs a seguir o exemplo. Comparado à norma usual do faturamento por hora, o faturamento por segundo reduz muito qualquer desperdício de capacidade. Isso resulta em uma economia de até 40% no total, em comparação com o uso de VM padrão e o faturamento por hora.

Os tempos de inicialização das VMs no GCP são fenomenalmente rápidos e deixam outros CSPs para trás. Isso torna o dimensionamento muito rápido e responsivo. O GCP também permite o redimensionamento dinâmico de discos, para que você não precise fazer mudanças ou cálculos de sysops quando os discos estiverem cheios. Os IOPS são atribuídos com base nos tamanhos de disco e não podem ser provisionados separadamente. Isso pode ser problemático para clientes que desejam IOPS alto em um pequeno conjunto de dados, que podem resultar em desperdício de dólares em armazenamento indesejado.

O Google também vinculou ou comprou ferramentas de migração para a nuvem de terceiros. Essas ferramentas, como CloudEndure, Velostrata e CloudPhysics, ajudam os clientes a avaliar, planejar e migrar ao vivo suas VMs para o GCP essencialmente de graça. Em outros provedores de nuvem, algumas dessas ferramentas custam várias centenas de dólares por VM. O Google está claramente tornando a migração para o GCP o mais fácil possível.

Na Rede é onde brilha o GCP. Eles têm uma rede global de baixa latência. Mesmo da perspectiva do cliente, uma rede VPC abrange todas as suas regiões. Outros CSPs limitam as redes VPC a uma região. Isso facilita para os clientes do GCP a criação de aplicativos que atendam aos clientes globalmente, sem a criação de mecanismos complexos de design de infraestrutura entre regiões e replicação de dados.

O armazenamento de objetos também suporta um modo multirregional, onde os dados são replicados automaticamente pelas regiões. Para clientes que consideram uma migração da AWS ou uma estratégia de várias nuvens, o GCP oferece suporte à importação de armazenamento de objetos da AWS.

Para bancos de dados relacionais, o GCP fornece suporte para bancos de dados MySQL e PostgreSQL. Para clientes que desejam um banco de dados distribuído globalmente que ainda suporte consistência imediata e propriedades ACID, o GCP criou o Spanner. O Spanner usa algoritmos de consenso e relógios atômicos para sincronizar transações. Essa oferta é exclusiva do GCP e torna o Spanner muito atraente para grandes clientes corporativos que possuem esses requisitos em seu armazenamento de dados relacionais. De fato, outro banco de dados de código aberto, o CockroachDB, é baseado no artigo da Spanner, publicado pelo Google.

Da perspectiva do NoSQL, o GCP tem um produto chamado BigTable. O BigTable é um banco de dados NoSQL gerenciado em escala de petabytes, usado pelo Google em seus próprios produtos, como o Gmail.

Do ponto de vista de cobrança, o Google oferece descontos automáticos, como descontos de uso sustentado, que reduzem o preço sob demanda se uma VM executar mais de um determinado número de horas em um mês. Se você deseja o provedor de nuvem mais econômico do mercado hoje, o GCP é uma boa escolha.

Embora possa não ter a profundidade de recursos de alguns dos outros CSPs, ele possui alguns produtos exclusivos em seu portfólio e é uma opção atraente por ser líder de preços no mercado.

Conclusão e Perspectivas Futuras

Conforme detalhado acima, cada nuvem possui recursos e vantagens que atendem às necessidades específicas do cliente. Embora todos os provedores de nuvem continuem a fornecer certos serviços comuns (como banco de dados MySQL gerenciado), cada CSP continuará a criar serviços diferenciados e exclusivos (por exemplo, Aurora, Cosmos, Spanner) criados especificamente para solucionar necessidades muito específicas dos clientes. Os CSPs esperam que isso aumente a sua aderência e amplie o seu ecossistema de produtos e serviços.

Da perspectiva do cliente, esses serviços também se tornarão um driver para adotar uma estratégia de várias nuvens.

Como exemplo, um cliente pode querer usar o GCP para um aplicativo que precise dos recursos do Spanner, enquanto usa a AWS para seus serviços de IA e o Azure para cargas de trabalho específicas do Windows.

Mesmo para serviços futuros, como visão por computador e reconhecimento de fala, as necessidades do cliente podem levá-los a cada vez mais combinar serviços em plataformas nas nuvens, para atender aos requisitos de seus aplicativos. O Cliente provavelmente usará uma nuvem como plataforma principal, enquanto usará serviços de outras pessoas para aplicativos específicos.

Conte aos amigos