A natureza mutável do talento técnico

Um tema importante que sempre gosto de tratar é a importância do talento técnico e como isso pode impactar pessoas, empresas e países que queiram se destacar no século 21. Aprender, Adaptar e Influenciar. Esse é um dos motivos pelo qual este blog chama-se Fluência Digital.

Estamos vivendo em um mundo cada vez mais complexo, em constantes mudanças, aberto, integrado e global, onde por várias vezes ouvimos algo como: “vivemos em um mundo On Demand”.

Em tal mundo, a capacidade de analisar e resolver problemas, mesmo aqueles que você nunca viu antes, é particularmente importante, assim como a capacidade de trazer rapidamente ao mercado novos produtos, serviços e soluções integradas de todos os tipos. A tecnologia e a inovação são absolutamente críticas para se competir nesse mundo e, como na Iniciativa de Inovação, os estudos têm apontado para ser o grande diferencial, somado ao talento, especialmente o talento técnico, como sendo essencial para a inovação.

Como a tecnologia continua a permear todos os aspectos dos negócios e da sociedade, os requisitos de talento técnico para o século 21 estão mudando. No passado, os matemáticos cientistas e engenheiros eram encontrados principalmente fazendo pesquisas e projetando novos produtos em laboratório. Porém, cada vez mais, os empolgantes problemas e oportunidades baseados em tecnologia são encontrados no mercado, ajudando empresas, governos e outras instituições a aproveitarem os avanços da tecnologia para transformar seus processos, organizações e modelos de negócios. E, como resultado da Internet e seus padrões relacionados, encontrar soluções como o Grid Computing e a Arquitetura Orientada a Serviços, que possibilitaram integrar processos de negócios, informações e pessoas dentro do negócio, bem como com clientes, fornecedores e praticamente todos as outras cadeias de produção. Como resultado, os problemas que agora podemos resolver são significativamente mais amplos, diversificados e complexos, exigindo um grau de colaboração muito maior do que antes.

Então, como preparar os alunos técnicos, digamos nas faculdades e universidades, em seus cursos de Tecnologias, para esses novos tipos de requisitos que devem combinar competência técnica com compreensão de negócios e habilidades de comunicação e pessoas?

Vários estudos têm sido feitos para abordar essa questão, como este sobre a reestruturação do ensino de engenharia pela National Science Foundation, que visa tornar a engenharia mais diversificada, ampla e voltada para o futuro. E organizações como a ABET, que credenciam programas educacionais de faculdades e universidades em áreas técnicas, publicaram seus “Critérios para Programas de Credenciamento de Engenharia“, que lista as competências que esperam que todos os graduados em engenharia alcancem. Além de competências “clássicas” como “Capacidade de projetar e conduzir experimentos, bem como de analisar e interpretar dados”, agora incluem requisitos como:

  • Capacidade de trabalhar em equipes multidisciplinares,
  • Capacidade de comunicação efetiva, e o
  • Reconhecimento da necessidade e a capacidade de se engajar na aprendizagem ao longo da vida.

Este último tópico acima é fascinante! Eu me formei em uma pequena e nova faculdade, na cidade de São Paulo, Brasil, que teve a primeira turma de Sistemas de Informação, no início de 2001, formando esta turma, no final de 2004. A faculdade recebeu, na época, incentivos para buscar novas abordagens para o ensino de Sistemas e eu e minha turma tivemos a honra de participar deste projeto onde recebemos não só orientações técnicas, como também, noções de direito, empreendedorismo e comunicação. Os objetivos educacionais do curso nos ajudaram a melhor entender o mundo e suas complexas demandas e como a tecnologia tem um papel fundamental sobre os negócios. Costumo dizer que, em um curso de quatro anos, conseguimos abordar ciência e tecnologia, empresa e sociedade; e me ajudou a me engajar para a aprendizagem ao longo da vida. E até hoje sigo aprendendo, adaptando e influenciando pessoas, processos e produtos por onde vou.

Se o talento técnico é mais importante do que nunca para o século 21, temos um grande desafio pela frente para convencer os jovens, que a educação técnica e carreiras técnicas como ciências, matemática e engenharias são importantes e deveriam ser mais desejadas e vistas como carreiras que envolvem trabalho em equipes para resolver problemas reais.

As áreas onde o talento técnico é mais necessário são precisamente aquelas que abordam esses problemas sociais e de negócios do mundo real aos quais agora podemos aplicar a tecnologia, trabalhando em equipes com habilidades diversas, muitas vezes com pessoas de todo o mundo. Precisamos de alguma forma divulgar que os requisitos da carreira técnica são muito mais amplos agora, e realmente precisamos acelerar os programas educacionais para unir melhor a ciência e a tecnologia com habilidades de negócios e artes liberais. Este é um desafio muito importante e difícil que requer um esforço considerável de todos nós.

Conte aos amigos

Deixe uma resposta

Privacy Preference Center

Necessary

Advertising

Analytics

Other